quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Fela Kuti - 1971 - Open & Close




só felation, só felation!


e textinho da vovó:
e claro, baixar só lá na cozinha da vovó conga, via link da capa. /\

||


"Caramuru! Saudação pro pai Fela, esteja onde ele estiver. Fez muito pela música e pela justiça social. Pra quem já conhece, a oportunidade de relembrar; pra quem não conhece e ficou curioso com a penúltima postagem, aqui está a oportunidade de matar essa lombriga. Esse disco é do início de sua carreira como afrobeatman. Antes disso, ele tocava highlife, outro estilo musical típico na Nigéria, mas após contato com o funk e os movimentos de resistência negra dos EUA, durante uma excursão que fez com sua então banda, o Koola Lobitos, Fela Kuti fundiu essa coiserada toda e a queimou como combustível do propulsor afrobeatico (lê-se afrobítico). Fela idealizou tudo, foi o maestro de toda a coisa e, para realizá-la, necessitava de músicos novos. Deu de cara com Tony Allen. Disse: "Cara, você soa como quatro baterias ao mesmo tempo!". Allen ainda era um garoto de 21 anos, mas já era o melhor da Nigéria. Fela não pensou duas vezes... tal confiança permitiu que, em anos de trabalho juntos, Allen fosse o único músico a compor tudo o que tocou na Africa '70, sendo que, para o resto dos músicos, as composições eram normalmente feitas por Fela Kuti. Sem sombra de dúvidas, Africa '70 foi a melhor banda que Kuti já reuniu.Open & Close é um dos discos prediletos da vovó, pois, por ser do início da carreira de Fela Kuti, repassa toda a fúria deste homem sem perder em alegria. São apenas três faixas, todas impecáveis e balançantes. A primeira, a faixa título, tem no som dos metais a representação do próprio título: abrir e fechar, indicando-se os passos da dança. A cozinha moendo (reparem o solo de bateria de Tony Allen por volta do segundo minuto: a caixa soa linda!) e os metais cortando o tempo todo. "One, two, three, fooouurr!!!". Abrir e fechar, abrir e fechar, abrir e fechar... Mais adiante, o frontman nos ensina a dança: "Put your legs and arms together / put your legs and arms away!"; os backing vocals: "open and close!". Continua assim até um final mais calmo, comandado por Fela e seu teclado.
A segunda faixa, Swegbe And Pako, começa num underground spiritual game, continua num crescente de teclados e metais hipnóticos, até que... "Ouu!!!", grita o hôme, indicando que ali a macumbeira começa pesada. Dali em diante, mantém-se os ciclos de baixo e de duas guitarras que dialogam o tempo inteiro. Kuti discursa, backing vocals repondem. "Na Swegbe êeee... na Pakooo". É lindo! Na sequência vem um solo de teclado do hôme, antecedendo um final alto e apoteótico.
A terceira e última faixa, Gbagada Gbagada Gbogodo Gbogodo (isso provavelmete é somente uma onomatopéia), é quebradeira pura. Começa num ritmo que se estende até os 50 segundos iniciais, quando muda pra outro, numa passagem linda. Na sequência, Tony Allen dispara uma variedade de loops, vai e vem, e se acalma, pianinho. Solo de sax, a música cresce e diminui de novo, até que o cabôco solta a voz: "Gbogodo Gbogodo Gbogodo Gbogodo Gbogodo...". Fela pergunta, os backings respondem. Entra novamente a banda toda e vovó só imagina uns pés dançantes, como num samba bem rápido, frenético. Fela, então, entra com um solo hipnótico em seu teclado que culmina num breve "silêncio". Cantarolando, Kuti conduz a banda pro final e dá o sinal: "Ôoooo!". A Africa '70 volta a cena com toda a força, diminui um tiquinho na sequência, quando se mantém uma linha mais grave de metais; o hôme canta em resposta a eles e a metaleira ressurge, finalizando o ritual iniciado."

boa uvida!

*lembrando que, o sistema de clicagem para download na cozinha de lá é por intermédio de através do título da postagem.

2 comentários:

Tiê disse...

esse release a vovó fez com muito carinho.

Vovó Conga disse...

Opa! Não tinha como não pôr carinho nesse release... um dos melhores discos do nêgo Fela Kuti. Axé procê, Tiê! (rimou, hehe...)